socioeco.org
Sitio de recursos de la economía social y solidaria

Revista Economia Solidária 5. A Economia Solidária e o Desenvolvimento Territorial

Aceesa - Associação Centro de Estudos de Economia Solidária do Atlântico, Portugal

Sitio de la editorial

Sob a direcção de Rogerio Roque Amaro, aceesa - Associação Centro de Estudos de Economia Solidária do Atlântico, Portugal, noviembre 2012

Há uma dimensão territorial importante na Economia Solidária. Por um lado, múltiplas experiências e iniciativas de Economia Solidária estabelecem na prática relações privilegiadas com as comunidades a que pertencem ou onde estão localizadas, mobilizando os seus recursos, valorizando as suas identidades e culturas, relacionando-se com as suas economias, contribuindo para o seu Desenvolvimento e «empowerment».

Por outro lado, algumas das sistematizações teóricas sobre o conceito de Economia Solidária valorizam essa dimensão.

Artigos

  • O artigo de João Ferrão, Investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, sobre o conceito inovador de Responsabilidade Social Territorial, o qual permite fazer a ligação com as discussões actuais sobre Governança Partilhada (ou Colaborativa) a nível local e sobre o papel da Economia Solidária nesse (novo) domínio;

  • O artigo de Maria de Fátima Ferreiro e Sérgio Lagoa, ambos Professores Auxiliares do Departamento de Economia Política da Escola de Ciências Sociais e Humanas do ISCTE-IUL, e Licínio Pina, Administrador no Crédito Agrícola, que aborda o tema das políticas de coesão territorial da União Europeia, do desafio do Desenvolvimento Rural e do papel de uma instituição financeira portuguesa cooperativa (o Crédito Agrícola) nestes domínios.

  • Os testemunhos de duas personalidades de referência da história, das práticas e das reflexões sobre Desenvolvimento Comunitário/Local e a Economia Social e Solidária em Portugal, sobre a importância destes temas e as suas experiências nestas áreas.

  • O artigo de Susana Godinho, mestre em Economia Social e Solidária no ISCTE-IUL, apresentando, como síntese da sua tese de mestrado, os desafios da aprendizagem contínua nas organizações de Economia Social e Solidária em Portugal, na construção da sustentabilidade individual e colectiva e o papel que a metodologia das comunidades de prática pode desempenhar a este nível.

  • O ensaio apresentado por Roberta Schwambach, mestranda em Economia Social e Solidária do ISCTE-IUL, sobre o papel do dinheiro e da moeda nas sociedades modernas, bem como as propostas que têm surgido, muitas no âmbito da Economia Solidária (como no caso analisado, entre outros, do Conjunto Palmeiras e do Banco Palmas, no Brasil), de «moedas paralelas» e «sociais»).

  • A nota de leitura sugerida por Jordi Estivill, membro do Conselho Editorial e da Comissão Científica da Revista, sobre algumas publicações recentes sobre Economia Solidária e processos de transição, em particular sobre o livro «Adeu Capitalisme.15M-2031», da autoria do economista catalão Jordi Garcia Jané, publicado pela Ed. Icaria de Barcelona, em 2012, abordando em particular o tema do Movimento dos Indignados, das suas possíveis sequências e da sua ligação à economia Solidária.

Véase también :