socioeco.org
Website de recursos comum da economia social e solidária

Tramas e tessituras na economia solidária : uma análise da influência das relações de pessoalidade na interinstitucionalidade da economia solidária

Dissertação (Mestrado em Sociologia)-Universidade de Brasília, Brasília, 2009

Brenno Gomes da Silva Mauro,, 2009

Download : PDF (970 KiB)

Resumo :

A pesquisa discute a influência das relações de pessoalidade (amizade, confiança e reciprocidade) na construção das desigualdades ou assimetrias existentes nas relações interinstitucionais estabelecidas entre quatro cooperativas de catadores de materiais recicláveis (enquanto sujeitos da economia solidária) e instituições ou atores dos setores público (Estado, Governos, Bancos Públicos, etc.), privado (Empresas, Indústrias, Firmas, etc.) e da sociedade civil organizada, também conhecida como terceiro setor (Ong,s, Organizações Internacionais, etc.) da região do Distrito Federal (Brasil). Procurou-se analisar as raízes históricas e as diversidades de concepções do conceito de economia solidária, orientadas por diferentes correntes teóricas, como as correntes marxista e maussiana. Abordou-se ainda a questão das pontualidades das políticas públicas para o setor, bem como a idéia da fragilidade sócio-econômica da economia solidária: ambas relacionadas à questão da interinstitucionalidade. Na abordagem empírica, utilizou-se a teoria das redes sociais como metodologia, assim como o método qualitativo e a pesquisa de campo para analisar o processo de construção das desigualdades verificadas nas relações interinstitucionais na economia solidária, de acordo com o recorte metodológico realizado. Por meio da pesquisa de campo realizada, constatou-se que a precariedade e informalidade ainda estão presentes na realidade das cooperativas de catadores estudadas. Em termos interinstitucionais, observou-se que aspectos como as diferentes flexibilidades existentes nas relações entre os diferentes atores envolvidos nessa trama (dinâmica sócio-econômica) variavam em função da natureza das esferas sociais das quais tais atores provinham (setores público, privado e terceiro setor). Dessa forma, o grau de influência das relações de pessoalidade nas desigualdades ou assimetrias variou de acordo com a natureza das relações (políticas, econômicas ou filantrópicas) envolvendo as cooperativas estudadas.

Fontes :

Repositório Científico de Acesso Aberto em Portugal

Repositorio Institucional Universidade de Brasilia repositorio.unb.br/handle/10482/4270