socioeco.org
Website de recursos comum da economia social e solidária

Economia solidária : uma alternativa a renda para os catadores de resíduos sólidos de Maringá

Tese Mestrado en Administraçao Universidade Estadual de Londrina. Centro de Estudos Sociais Aplicados. Programa de Pós-Graduação em Administração.

Julimari Aparecida Bonvechio de Oliveira, 2012

Ler artigo completo na página de : www.bibliotecadigital.uel.br

Resumo :

O objetivo central da dissertação foi compreender a vivência por parte dos membros dos empreendimentos de Economia Solidária da cidade de Maringá- PR. Amiúde foram três objetivos: descrição dos Empreendimentos da Economia Solidária em atuação na cidade de Maringá; a apresentação do processo de desenvolvimento dos empreendimentos de economia solidária e suas particularidades e entender a incorporação dos princípios da economia solidária, por parte de seus principais atores. Para a compreensão, inicialmente apresentou-se o modelo de desenvolvimento econômico centrado nas ideias liberalizantes, que exigiram minimização da ação do Estado para fins puramente econômicos. Para avançar, o estudo buscou compreender as suas contradições atuais e excludentes do capitalismo, bem como a emergência da Economia Solidária como tentativa de resposta a intensificação das camadas excluídas. A Economia Solidária fundamenta-se em ideais humanistas de inclusão a renda e na emancipação do indivíduo. A pesquisa realizada foi qualitativa de cunho exploratório-descritivo. O paradigma crítico foi adotado, visando verificar o status quo a partir das contradições pelos catadores. Para a coleta de dados realizou-se uma entrevista com roteiro flexível para extrair o comportamento dos envolvidos. Além das falas transcritas, observaram-se as contradições no ambiente por meio de imagens e da organização do lay out local. Desenvolveram-se pesquisas em quatro empreendimentos de economia solidária que coletam resíduos sólidos e uma caracterização do movimento do artesanato existente na cidade. Foram examinados os princípios solidários existentes por meio das seguintes categorias: autogestão, solidariedade, gerenciamento das atividades, emancipação/alienação, entraves. As falas forneceram o suporte para as conclusões. Quanto ao resultado evidenciou-se que há avanços na introjeção dos princípios graças ao empenho da Assessoria Unitrabalho que periodicamente repassa conhecimento sobre Economia Solidária. Na situação em que o empreendimento pode contar com o aporte de conhecimento e informação das igrejas situadas nos mesmo bairro, houve uma representatividade positiva no avanço da renda e na emancipação dos envolvidos. Contudo, nas demais cooperativas, há vários limites e entraves para o curso da emancipação: o baixo grau de escolaridade dificulta a compreensão de cálculos de custos dos produtos e das rendas dos envolvidos. Também, há dificuldade no gerenciamento das atividades internas e estratégias de comercialização, além de infraestrutura inadequada que dificulta também o processo, a ausência de apoio por parte do setor público, que ao alocá-los no processo solidário, deixou-os à mercê da própria sorte, negando-lhes melhorias pertinentes. Assim, identificou-se que há sérios limites no curso da emancipação social dos envolvidos nestes empreendimentos solidários de catadores de resíduos sólidos de Maringá.