socioeco.org
Website de recursos comum da economia social e solidária

Incubadora Universitária Tecnológica de Cooperativas Populares: uma proposta de política pública de crédito produtivo

João Guerreiro, Gonçalo Guimarães, Gabriela Egler, Inessa Salomão, 2005

Download : PDF (120 KiB)

Resumo :

A Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP), criada em 1995 na COPPE/UFRJ -Coordenação dos Programas de Pós-Graduação em Engenharia, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, é fruto da proposta de incluir, economicamente, setores socialmente excluídos pela política econômica adotada pelo governo brasileiro.

Este artigo busca apresentar o contexto no qual a ITCP/COPPE/UFRJ surge, de forma pioneira, em uma universidade brasileira e como a criação de Incubadoras de Cooperativas Populares rompe com a tradição dos programas pontuais de combate ao desemprego e torna-se uma referência para políticas públicas municipais, estaduais e federal. Além de discutir a metodologia de incubação destas cooperativas populares e o perfil do público-alvo da ITCP/COPPE/UFRJ, o artigo apresenta o perfil da equipe da ITCP e demonstra o porquê dela ser interdisciplinar, com profissionais (professores, alunos e técnicos) oriundos da área social à área tecnológica, atuando desde a organização dos grupos e a formação do cooperativismo até a inserção no mercado de trabalho. Na segunda parte do artigo desenvolve-se uma proposta de política pública de crédito para as cooperativas populares a partir das experiências obtidas nestes últimos nove anos de discussão sobre o cooperativismo popular na ITCP. O tema crédito é abordado preferencialmente por ser um dos poucos entraves no qual a ITCP não consegue atuar de forma direta, pois depende de transferência de recursos financeiros que só podem ser feitos por organizações financeiras

que praticam operações de crédito reguladas pelo Banco Central. É neste contexto que o artigo propõe, para qualificar o debate sobre crédito produtivo para as cooperativas populares, a necessidade de se construir um novo conceito de crédito, aqui denominado, preliminarmente, de Crédito de Interesse Social. Busca-se, portanto, perceber as especificidades do programa ITCP/COPPE/UFRJ, sua possibilidade de replicabilidade e a necessidade de se debater um dos principais gargalos para a consolidação das cooperativas populares: o acesso ao crédito produtivo, que muito se diferencia da perspectiva atual de microfinanças que assola o país. A preocupação que permeia o artigo é demonstrar o papel inovador que vem sendo desempenhado por este tipo de Incubadora na articulação do saber produzido na universidade e a forma de sua transferência para uma parcela da população – as comunidades populares -que sempre esteve alijada do acesso ao conhecimento que pode e deve ser utilizado para a sua organização produtiva autônoma.

Ao mesmo tempo, possibilita que as Incubadoras interfiram na discussão contemporânea sobre a inserção social destes excluídos, tendo como base a real forma de inserção cidadã: a inserção econômica através da criação de alternativas de geração de trabalho e renda.

Fontes :

Sitio de ITCP: Incubadora Tecnologica de Cooperativas Populares www.itcp.coppe.ufrj.br/publ_textos.php