socioeco.org
Website de recursos comum da economia social e solidária

Revista Economia Solidária 11. A Economia Solidária e os comuns

Aceesa - Associação Centro de Estudos de Economia Solidária do Atlântico, Portugal

Editado por Rogerio Roque Amaro, Junho 2017

Download : PDF (4,4 MiB)

Resumo :

O conceito do bem comun e suas variantes (entre outras bem coletivo, utilidade social, utilidade pública) vem evoluindo há praticamente 2500 anhos. Em termos de história de ideias, a suas raízes remontam a pólis grega de Aristóteles,na qual estava estreitamente ligado a ideia da justiça, assim como, posteriormente em São Tomás de Aquino. De importância decisiva para a teoria do bem comun é o ancoramento do bonum commune secular, politico no summum bonum que se refere a uma orden transcendente, e o perfil caracteristicamente jusnaturalista per meio da fundamentação da ética e do direito, que se refere a essência do ser humano (natura humana)

Refletir sobre os Bens Comuns, valorizando, atualizando e especificando este terceiro sistema e modelo de propriedade e de gestão, para além dos dois tradicionais, a que normalmente se confinava a análise.

Três problemáticas novas emergiram com particular interesse para os temas desta Revista:

Tomada em consideração de novos Comuns - para além dos recursos naturais, tradicionalmente tidos em conta, cada vez mais os Comuns imateriais.

Colocada a ênfase na gestão e na utilização comum, mais do que na propriedade;

Evidência das pontes, que são cada vez mais evidentes, entre os Comuns e os princípios e os valores da Economia Solidária e do Desenvolvimento Comunitário.

Financiada no âmbito da candidatura ao programa PRO-SCIENCIA – Qualificar: Qualificação do Capital Humano para a sociedade do conhecimento, à Secretaria Regional Mar, Ciência e Tecnologia.

Porque o saber, o refletir, o debater, o partilhar, o investigar, o inovar e querer mudar por forma a contribuir para a mudança do paradigma atual.