socioeco.org
Website de recursos comum da economia social e solidária

Novos Paradigmas de Produção e Consumo: Experiências Inovadoras

Site de la editorial

Adriano Borges Costa, Leandro Pereira Morais (coord.), Instituto Polis, Sao Paulo, Brasil, 2010

Coletânea de onze estudos analíticos de experiências brasileiras fruto do projeto Novos Paradigmas de Produção e Consumo, coordenado pelos pesquisadores Leandro Morais e Adriano Borges Costa. As experiências analisadas nesta publicação são bastante diferentes entre si e localizam- se em diversos campos: bancos comunitários, cadeia de empreendimentos da economia solidária, tecnologias sociais, produção agroecológica e permacultural, cooperativas de consumidores, cultura digital, tecnologias e empregos verdes e outros.

  • A experiência da Cooper Ecosol e os aportes do consumo responsável na consolidação de novos paradigmas de produção e consumo

  • A Rede Justa Trama: os fios e o tecido de uma cadeia produtiva na economia solidária

  • Asmare: uma inovação socioambiental

  • Banco Palmas como uma plataforma de desenvolvimento comunitário

  • Município de Piraí: a cidade digital e o direito à informação

  • Novos Paradigmas de Produção e Consumo: Experiências Inovadoras

  • Novos paradigmas no semiárido brasileiro: a experiência da ASA na construção de novas modalidades de políticas públicas

  • O Povo Xavante e os impactos do Projeto Jaburu

  • Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (PAIS), uma tecnologia social para construção da segurança alimentar

  • Rede Ecovida de Agroecologia

  • Sistemas Agroflorestais a partir da experiência de Ernest Gotsch

Publicação disponivel para download: www.direitoacidade.org.br/obras/arquivo_328.pdf

O projeto Novos Paradigmas de Produção e Consumo, iniciado em julho de 2009, busca sistematizar experiências/conceitos/iniciativas/ideias que apontam para novos modelos de desenvolvimento, com equidade e sustentabilidade. O Projeto busca avançar na discussão de diversos temas emergentes, e de alguma forma conectá-los, buscando ampliar o impacto de experiências inovadoras na área de produção e consumo, orientada para inclusão produtiva dos mais pobres, para a afirmação dos direitos das mulheres e para enfrentar as mudanças climáticas. “Ampliar o impacto significa se inserir nos processos, captar quais são os discursos, as experiências e os atores que protagonizam esses processos de mudança - para depois sistematizar e digerir e devolver. Não estamos formulando nada novo”, explica Adriano Borges Costa sobre o objetivo do Projeto.